O que são processos logísticos? Como melhorá-los radicalmente?

processos-logisticos
13 de maio de 2017
Última modificação: 27 de julho de 2020

Autor: Paula Louzada
Categorias: Blog, Logística

O que são processos logísticos?

Processos logísticos são importantes ao longo de sua carreira pelas diversas áreas da empresa. Um gestor pode se deparar com um processo logístico, uma vez que este está direta ou indiretamente relacionado com todas as áreas da empresa – produção, vendas, finanças, etc – sendo, portanto, de grande valia que ele entenda do que se trata isto.

O objetivo macro de um processo logístico é tentar encontrar a melhor forma de se produzir e distribuir aquilo que é produzido pela empresa (bens ou serviços), considerando a forma como o mercado utiliza estes produtos.

E claro, é importante entender que a logística, como um todo, se refere ao planejamento e aos procedimentos para garantir a maior facilidade possível de distribuição de pessoal, materiais, serviços, informações e fluxo de capitais, tanto dentro da organização quanto com relação a seus diversos parceiros, que formam a cadeia de suprimentos. Cada SIPOC que fizemos para mapear processos logísticos nos mostrou muito.

Como começa um processo logístico?

O processo logístico se inicia com o planejamento do que será produzido pela empresa, que é a base de decisão sobre o que será criado e a base para os documentos e ordens que devem ser produzidos – por exemplo, as cotações de matérias-primas com os fornecedores, e os inventários de estoques. Uma vez produzidos os produtos, a companhia deverá decidir se irá estocá-los em um armazém – que pode ou não ser de sua posse – ou vendê-los diretamente. Esta é uma etapa importante do processo, que afeta diretamente os custos de armazenagem, depreciação, e outros custos logísticos, que você poderá compreender melhor clicando aqui.

Não podemos perder de vista que muitas empresas, em especial as automobilísticas, atuam com um processo logístico que é, essencialmente, um processo de montagem: a empresa, ao invés de fabricar os múltiplos componentes de seu produto final, compra as diversas partes dele de várias outras companhias.

O processo logístico se torna mais complexo, já que aumenta a extensão da cadeia de suprimentos, e se torna mais vulnerável aos problemas, oscilações e mudanças de estratégia dos fornecedores, de modo que é ainda mais necessária uma análise e melhoria contínua do processo, incluindo o processo de gestão de estoques, de modo a minimizar sua fragilidade e aumentar sua rapidez de resposta. Por outro lado, a companhia pode utilizar um processo como este para integrar unidades geograficamente dispersas ou ser capaz de entregar aos seus clientes produtos bastante customizados e de alto valor agregado.

Diante de um processo logístico complexo, que informações não devo perder de vista?

À medida que aumenta a demanda por maior controle de informações, custos, comunicação, ou mesmo o rigor das legislações trabalhista e ambiental, os processos logísticos se tornam mais complexos. Um processo logístico deve, então, ser cada vez mais eficiente, aplicando ferramentas de análise e visualização de todos os pontos e gargalos da cadeia de suprimentos.

As ferramentas devem ser utilizadas de modo a integrar o conjunto das informações, e permitir que você não perca de vista os dados sobre inventário, produção, locais de armazenagem, pessoal, materiais, serviços de empacotamento e transporte e sobre os processos que garantem a entrega correta e segura dos bens ou serviços fornecidos pela empresa.

Existem processos logísticos dentro de uma prestadora de serviços?

Um exemplo “da casa”: nós, da FM2S, prestamos o serviço de treinamentos, realizando cursos em cidades específicas ou treinamentos in-company. Temos, portanto, um processo logístico importante, que envolve como distribuir nossos profissionais dentro das datas e diversas localidades do Brasil, de modo a prestar um serviço de qualidade, e sem perder de vista a eficiência dos processos internos da empresa, que fica temporariamente desfalcada destes profissionais.

Não se esqueça que, por lidar com pessoas, sua empresa precisa adquirir bens de consumo, que vão desde os alimentos consumidos no local de trabalho, material para limpeza do local ou para higiene pessoal, ou mesmo transporte de funcionários. Todos estes são processos logísticos internos, que têm como cliente final a própria organização.

Qual a função de um processo logístico?

Um processo logístico tem essencialmente a função de facilitar as relações entre a produção e o movimento de produtos. Processos logísticos devem levar em conta os mais diversos aspectos da produção, com destaque para os pilares tempo, custo e qualidade.

Uma empresa que for capaz de coordenar adequadamente seus processos logísticos conseguirá acompanhar, controlar e melhorar todos as suas etapas produtivas, passando pela produção, consumo, armazenagem e venda. Entretanto, um gestor nunca deve perder de vista que o processo logístico também está relacionado a diversas variáveis externas, sendo influenciado especialmente pelas particularidades da localização geográfica – que determina o custo e facilidade de transporte, tempo de estocagem, proximidade com outros pontos da cadeia de suprimentos, proximidade dos mercados consumidores, etc.

Que tipo de característica geográfica devo analisar?

Talvez você tenha sido incumbido de resolver um problema em um processo logístico e esteja em dúvida a respeito de quais características geográficas da localização da sua empresa são mais importantes para ser analisadas, ao menos em um primeiro momento.

Alguns aspectos muito importantes a ser analisados, relacionados à localização geográfica, são:

  • os custos de produção (podem ser maiores ou menores, devido ao transporte de equipamentos e matéria-prima; compare com como seriam em outras posições, para avaliar possíveis vantagens ou desvantagens);
  • custos de pessoal (quanto custa transportar seus funcionários até o local de trabalho);
  • tempo e custo para desconsolidar o local;
  • possibilidades de utilização de armazéns externos, incluindo custos e espaço disponíveis;
  • fatores que possam afetar a qualidade (relacionados à dificuldade de levar à matéria-prima ou retirar o produto final);
  • eficiência de transporte entre os diversos elos da cadeia de suprimentos da empresa (os seus “hubs“).

Se interessou pelo tema?

A gestão de estoques e a melhoria contínua da cadeia de suprimentos são de suma importância para manter o dinamismo e competitividade de seu negócio, especialmente em tempos de crise econômica, que necessitam do uso mais racional possível dos recursos disponíveis.

Para aprender mais sobre este tema, não deixe de conferir nosso curso de Lean Logistics, onde você será apresentado aos princípios da gestão enxuta e eficiente tanto de estoques quanto da cadeia de suprimentos, além de aprender sobre diversas técnicas e indicadores, bem como sua gestão, de forma prática e aplicada! Também abordamos o assunto na Certificação Green Belt e na Black Belt.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *