Pare de jogar o “jogo da culpa” e foque em encontrar soluções

jogo da culpa
30 de abril de 2019
Última modificação: 30 de abril de 2019

Autor:
Categorias: Blog, Carreira, Gestão de Equipes, Liderança

Pare de jogar o “jogo da culpa” e foque em encontrar soluções

Imagine que você está liderando um projeto importante. O prazo está se aproximando, mas o trabalho será adiado e seu chefe quer saber por quê. Você e sua equipe são convidados a se explicar e, antes que você perceba, o “jogo da culpa” começa. A discussão gira em círculos enquanto você tenta descobrir quem é o culpado e por quê. Perder tempo apontando dedos, ao invés de procurar soluções, é uma ocorrência comum, mas está longe de ser construtivo.

Neste artigo, vamos explorar o que é o jogo da culpa, como pará-lo depois de iniciado e como você pode evitá-lo em primeiro lugar.

O que é o jogo da culpa?

Quando algo sai errado e nos sentimos ameaçados, é natural querer nos defender contra qualquer repercussão. Podemos nos encontrar nos bodes expiatórios ou tentar transferir a culpa para outro lugar. Podemos tentar nos distanciar de um problema, temendo que assumir a responsabilidade por erros ou erros possa prejudicar nossas carreiras ou nos fazer parecer mal.

Mas essa abordagem não resolve nada. Mudar a culpa não ajudará você a cumprir esse prazo e não corrigirá o problema que causou o atraso.

Às vezes é muito óbvio quando um time está jogando um jogo de culpa. Mas isso também pode acontecer de maneiras mais sutis.

Aqui estão alguns sinais de alerta a serem observados:

  • Exclusão: uma ou duas pessoas da equipe são regularmente excluídas ou marginalizadas. Elas podem ser “mais fracas” do que os outros (em caráter ou posição), ou ausentes da discussão.
  • “Dedo apontando”: os membros da equipe encontram falhas no grupo. Por exemplo, “Jack deveria verificar esses números antes da apresentação”.
  • Negação: as pessoas negam responsabilidade ou inventam desculpas. Eles podem fazer comentários como: “Isso não tem nada a ver comigo, ninguém mostrou essa informação para mim!”
  • Negatividade: nenhuma solução é identificada para corrigir o problema em questão. Em vez disso, as pessoas se fixam em encontrar falhas. Eles lutam para avançar e se concentrar apenas no negativo.

O impacto da culpa

Culpar os outros pode ter um efeito negativo sobre o moral e o desempenho. Os membros da equipe podem se sentir depreciados ou humilhados se forem apontados como culpados – especialmente se não for culpa deles.

Uma cultura de culpa também pode levar indivíduos ou equipes a se tornarem bodes expiatórios quando o problema real pode estar em outro lugar ou ter várias causas. É mais fácil culpar alguém em outro departamento ou prédio do que apontar o dedo para alguém com quem você se senta todos os dias.

Com o tempo, esse tipo de bode expiatório pode até mesmo perpetuar preconceitos ou levar a acusações de discriminação. Além disso, pode prejudicar a integridade de outros membros da equipe que a testemunham, especialmente se eles não fizerem nada para impedi-la.

Passar a responsabilidade para alguém pode esgotar a confiança de clientes e fornecedores e dar má reputação à sua organização. Conversas como “Bem, isso é culpa da equipe de finanças, não da nossa, então eu não posso ajudar você” pode fazer toda a empresa parecer incompetente.

A culpa também pode atrapalhar a criatividade e a inovação dentro de sua organização – se as pessoas tiverem medo de tentar coisas novas, caso não funcionem, isso pode reduzir o desempenho da equipe e da empresa a longo prazo.

Como evitar o jogo da culpa

Para evitar uma cultura de culpa, é importante definir expectativas e limites claros para sua equipe.

As seguintes ações podem ajudá-lo a evitar a situação que surge em primeiro lugar:

  • Estabeleça responsabilidades e responsabilidades claras – Quando as pessoas sabem exatamente quais são suas responsabilidades, é mais difícil culpar os outros quando as coisas dão errado, e é menos provável que dê errado em primeiro lugar. Ao incentivar a responsabilidade pessoal e não o microgerenciamento, os membros de sua equipe manterão um senso de propriedade sobre suas tarefas. Você pode até considerar a elaboração de uma carta de equipe que define as expectativas e os objetivos de todos por escrito.
  • Promova a abertura – Uma equipe aberta e colaborativa estará melhor preparada para lidar com possíveis problemas antes que eles saiam do controle. Peça informações regulares de sua equipe nas reuniões. Fique atento ao pensamento de grupo, em que as pessoas se preocupam em levantar questões difíceis por medo de perturbar o status quo.
  • Cultive sua inteligência emocional e empatia – Mesmo que um colega esteja realmente errado, pode haver outros fatores a serem considerados. Talvez eles estejam sobrecarregados, ou uma emergência familiar levou-os a ignorar algo importante. Objetivo de oferecer apoio em vez de críticas. Se um membro da equipe cometer um erro ou não entregar em uma tarefa, eles podem exigir treinamento, orientação ou treinamento em uma habilidade específica.

Mudando a Conversa

Quando os membros da equipe começam a jogar a culpa um no outro, as coisas podem ficar fora de controle. Os sentimentos podem ser feridos e os relacionamentos podem ser danificados. Então, como você pode parar um jogo de culpa uma vez iniciado?

As etapas a seguir podem ajudá-lo a reunir a equipe e orientar a discussão em uma direção mais produtiva:

1. Reframe a situação

Despersonalize o problema e pergunte: “Para onde vamos a partir daqui?” Concentre-se nas ações que a equipe pode tomar para remediar a situação, em vez de analisar quem estava em falta. Além disso, mostre-lhes como pode ser uma oportunidade para aprender e crescer.

2. Peça desculpas

Se alguém foi culpado injustamente, tente fazer com que a pessoa ou pessoas responsáveis se desculpem. Se isso não for possível, você pode pedir desculpas por eles.

Se você é responsável por culpa injusta, a melhor coisa a fazer é reconhecê-lo e fazer as pazes desculpando-se. Preste atenção aos sinais de raiva ou estresse e ofereça apoio adicional em particular, se necessário.

3. Fale com a equipe

Ajude os membros de sua equipe a entender por que a culpa é contraproducente e como ela pode ser evitada no futuro. (Para mais informações, veja Como Evitar o Jogo da Culpa, acima.)

4. Aprenda com seus erros

Pergunte à equipe: “O que podemos aprender com isso?” Você pode identificar uma falha na comunicação, por exemplo. Concentre-se nos processos: explore como você pode melhorá-los e como aplicar essas alterações para evitar que problemas semelhantes surjam no futuro.

Pontos chave

Quando surgem problemas, jogar o “jogo da culpa” pode causar transtornos, perder tempo e prejudicar a coesão da equipe – e isso não resolverá o problema nem impedirá que o erro aconteça novamente.

Uma abordagem melhor é despersonalizar a situação, concentrar-se em encontrar a causa raiz do problema e explorar o que você pode aprender com seus erros.

Para evitar que uma cultura de culpas surja em sua equipe, defina expectativas claras, incentive a responsabilidade pessoal e discuta possíveis problemas abertamente. Mostre empatia quando erros são cometidos e forneça treinamento e treinamento quando necessário.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *